quinta-feira, 28 de julho de 2016

Homens brancos não falam de seus sentimentos... Eles se suicidam


        “Ser homem” deveria ser acrescentado à lista de fatores de risco de suicídio.

Nos Estados Unidos, há uma média de 117 suicídios todos os dias.
Em 2014, 7 em cada 10 dessas mortes foram de homens.
Por muitos anos, esse tem sido o assunto: Os homens tiram suas próprias vidas a uma taxa quase quatro vezes maior do que as mulheres. As crescentes taxas de suicídio em homens têm sido chamadas de uma "epidemia" pelos principais jornais e médicas.
Quase todo mundo sabe sobre este fato e esta estatística apenas representa as mortes por suicídio confirmadas. O verdadeiro número de suicídios masculinos é provavelmente muito maior: homens bebem até a morte, basicamente se automedicando para evitar dores emocionais intoleráveis e se envolvem em comportamentos extremamente arriscados, frequentemente levando a mortes prematuras “acidentais” como forma de distração da realidade de suas vidas. Sem dúvida, o suicídio é um fenômeno que afeta desproporcionalmente os homens.
O que é ainda mais preocupante, tendo em conta estas estatísticas, é que os homens em comparação com as mulheres ainda têm metade da probabilidade de serem diagnosticados com depressão. Isto significa que, embora os homens estejam sofrendo, eles não estão procurando ajuda e, quando procuram, não estão recebendo o tratamento adequado.
Se o suicídio deve ser abordado eficazmente, ele precisa ser entendido. Isto significa falar abertamente sobre o grupo humano a que pertencem as vítimas; quem eles são e por que cometem suicídio, para começar. Boa parte das pesquisas mencionam os adolescentes, veteranos de guerra e comunidades aborígenes como tendo taxas desproporcionalmente altas de suicídio. Mas não menciona os homens, em si, como um grupo de corte. Entretanto, o fato é que o suicídio é completado mais por homens e, como raça, nos Estados Unidos e possivelmente no mundo, os homens brancos são os que apresentam a maior incidência de suicídio. Na década de 1990, a maioria esmagadora dos suicídios nos Estados Unidos foi cometida por homens brancos (73%), seguida de mulheres brancas (18%), homens negros (6%) e mulheres negras (1%).
Nós falamos com o Dr. John Oliffe, fundador e principal investigador do programa de Pesquisa em Saúde Masculina da Universidade British Columbia, para explorar algumas das razões por que as taxas de suicídio são tão altamente desproporcionais entre os homens, e aprender o que é preciso fazer para dar suporte aos homens e o que eles precisam saber para entender que é legal e importante pedir ajuda. Afinal, por que isso acontece?
Aqui estão alguns fatores potenciais:
1. Os sintomas da depressão são mais difíceis de ser detectados nos homens.
Dr. Oliffe explica que, mesmo quando os homens procuram ajuda muitas vezes apresentam sintomas que geralmente não são associados com depressão.
"Irritabilidade, overdose de álcool, colocar-se em situações de risco. Estes podem ser sintomas depressivos em um homem ", disse ele. "Mas os médicos, clínicos, não avaliam dessa forma."
Isso não quer dizer que homens nunca choram ou não mostram o que pode ser considerado de sintomas "estereotipados", mas isso não significa que fica mais fácil detectar os sinais de alerta para depressão ou algo mais grave.
O Dr. Oliffe disse que se deparou com esse problema em sua pesquisa. Ele viu o quanto é difícil identificar quando os homens estão deprimidos, e quando entrevistados, raramente vão usar a palavra "depressão" para descrever o quadro de como se sentem, optando geralmente pela palavra "estressado". 
De acordo com o HeadsUpGuys, um recurso online para homens que enfrentam a depressão  e que fornece informações e dicas de práticas para gerir e prevenir a depressão nos homens, ao explicar que outros sinais de depressão incluem mudança significativa de peso, perda de concentração, comportamento imprudente e dores físicas, como dores nas costas e dores de cabeça – esses sinais são facilmente confundidos por quem acha que a depressão é apenas tristeza, com isso parando de pensar que, de fato, podem estar desenvolvendo um transtorno bem mais grave.
2. Os homens não se sentem à vontade em ​​expressar suas emoções, por isso estão mais propensos a se isolarem.
Se um homem pensa e se sente que ele sempre tem que ser "forte" - e, portanto, não pode ficar vulnerável - ele pode começar a isolar-se, em vez de se abrir e falar com alguém sobre o que está acontecendo. Isto é especialmente perigoso, considerando que a falta de conexão com outros, familiares e amigoso isolamento, é um dos principais fatores de risco para uma tentativa de suicídio. 
"Não se trata apenas do cara ficar solitário num canto", explicou Dr. Oliffe. "Eles podem até ter pessoas ao seu redor, mas eles simplesmente não estão conectados com essas pessoas."
3. Os homens são mais propensos a tentar o suicídio usando meios mais mortais.
Ao tentar o suicídio, os homens são mais propensos do que as mulheres a usar meios mais mortais. Um estudo descobriu que 62 % dos homens contra 40% das mulheres, usaram o enforcamento ou armas de fogo em suas ações suicidas. Isso significa que para cada tentativa de suicídio que acorra, é bem mais provável que um homem venha realmente morrer.
Todos os homens são diferentes. Mas se você tem um homem em sua vida com quem está especialmente preocupado, aqui estão algumas coisas ditas pelo Dr. Oliffe que podem ajudar:
Não lhe tirar a sensação de controle: Se um homem se recusa a procurar ajuda, sugira apenas, chegando a ele de uma forma não conflituosa ou impositiva, mas encorajando-o a procurar ajuda de uma forma que ele se sinta que permanece no controle sobre a situação.
Procure apoio na comunidade:  Dr. Oliffe sugere alternativas que se ofereçam para as vias tradicionais de receber apoio. Se um homem se recusa a ver um médico ou um psicólogo, talvez haja algum tipo de serviço baseado na comunidade onde você mora, como a igreja ou centros comunitários, onde você pode indicar-lhe para obter aconselhamento.
Acompanhamento:  A recuperação é um processo as vezes lento e difícil e que, portanto, não significa que não haverá armadilhas ou recaídas mais na frente. É preciso continuar a ser solidário e paciente ao longo do processo de recuperação. 
Informá-lo sobre depressão e doença mental:  Depressão e outras doenças mentais não são fraquezas. É preciso deixar isso bem claro! Muitos homens permanecem em silêncio em seu sofrimento porque temem ser julgados e estigmatizados por não conseguirem viver de acordo com os padrões estabelecidos de masculinidade que lhes impõem que sejam fortes e invulneráveis. Sofrer de depressão não faz de nenhum homem "menos homem." Encoraje-o a se informar sobre depressão.
Começar a quebrar o silêncio e estimular a conversa sobre a questão da depressão e suicídio masculino, precisam acontecer já. E isso começa com cada um de nós.


Se você ou alguém que você conhece precisa de ajuda ligue para o número do CVV: 141 e procure ajuda especializada.



Textos originais: Why We're Losing So Many Men to Suicide – and What We Can Do About It  By Sarah Schuster http://themighty.com/2016/03/why-were-losing-s0-many-men-to-suicide-and-what-we-can-do-about-it2/
Com acréscimos do texto: O relógio corre em suicídios masculinos By Peter Wright http://br.avoiceformen.com/recomendados/o-relogio-corre-em-suicidios-masculinos/

Tradução livre e adaptada

Nenhum comentário:

Postar um comentário